Notícias do Sindicato


Diretoria do SindJorNP parabeniza a todas as jornalistas pelo Dia Internacional da Mulher

O Sindicato dos Jornalistas do Noroeste Paulista parabeniza a todas as mulheres e, em especial, as jornalistas que dignificam essa profissão e fazem toda a diferença nas redações. Fortes, sensíveis, inteligentes, guerreiras, idealistas, competentes, críticas, solidárias. Os perfis são diferentes, mas a alma feminina é universal. Mulheres, únicas, mães, companheiras, colegas, que as desigualdades no mercado de trabalho, o assédio e a violência possam desaparecer um dia. A todas, o nosso respeito e admiração....

Continuar lendo...

Share

SindJorNP tem nova diretoria para o quadriênio 2020-2024

Eleição foi realizada no dia 22 de junho de 2020 e a nova diretoria do Sindicato dos Jornalistas do Noroeste Paulista – SindJorNP teve posse imediata ao mandato que já está em vigor e vai até 22 de junho de 2024. Os jornalistas no Noroeste Paulista que atuam nos mais diversos veículos de comunicação ou assessorias no Brasil e no exterior, e associados e em dia e, quites com os requisitos previstos no Estatuto do sindicato, puderam eleger e referendar a chapa única que se colocou à disposição no pleito eleitoral para a......

Continuar lendo...

Share

Covid-19 causa mortes de jornalistas em todo o mundo

Jornalista sempre foi uma profissão considerada de alto de risco e não apenas para aqueles que cobrem regiões e áreas de conflitos. A pandemia Covid-19 já faz mais de uma centena de vítimas entre os profissionais de imprensa em pelo menos 33 países, conforme levantamento divulgado nesta semana pela Organização Mundial da Saúde – OMS. A entidade considera o trabalho dos jornalistas e dos profissionais de imprensa de modo geral como “fundamental na luta e combate à pandemia, porque a informação é a arma mais eficiente”. A Federação Nacional dos Jornalistas – FENAJ......

Continuar lendo...

Share

Eleição terá voto coletado por urna itinerante por causa da pandemia do Covid-19

A eleição para a nova diretoria do SindJornp, para o mandato 2020/2024, será feita com urna itinerante, com voto coletado de forma individual, com agendamento de horário, em virtude do isolamento social por causa da pandemia do novo coronavírus. “Vamos cumprir o que determina o decreto estadual no que diz respeito à quarentena e resguardar os nossos sócios, alguns do grupo de risco para a doença. Dessa forma, a votação será feita com a urna indo até o eleitor, sem aglomeração na sede do sindicato”, informou a presidente do SindJornp, Daniele Jammal. Podem......

Continuar lendo...

Share

Dia da Imprensa: Nada a comemorar

Foi se o tempo no qual jornalistas ouviam de seus entrevistados a clássica – e apenas – a expressão Nada a declarar! Hoje não só grande parte dos entrevistados nada diz de importante como ofende aos profissionais da imprensa. Tem sido cada vez mais comuns – e não normais – declarações desrespeitosas e xingamentos aos jornalistas por fontes que ocupam cargos públicos e, portanto, com o dever de prestar contas à sociedade. O atual governo federal e os seus integrantes, do presidente aos ministros e ocupantes de cargos nos diversos escalões, estão dentre......

Continuar lendo...

Share

Comissão Eleitoral divulga chapa inscrita para pleito de 2020 no SindJorNP

Apenas uma chapa se inscreveu para disputar as eleições sindicais dos jornalistas A presidente da Comissão Eleitoral, jornalista Fernanda Nunes Postigo, divulgou a ata da reunião do dia 21 de maio entre os membros dessa instância que coordena o processo eleitoral dos jornalistas e cuja eleição será por urna itinerante e posse se dará de forma virtual por conta da pandemia do Covid-19 no próximo dia 22 de junho de 2020. De acordo com o documento, a reunião ocorreu na sede (compartilhada) do sindicato, localizada na rua Tiradentes, 2361, no bairro Boa Vista,......

Continuar lendo...

Share

Rádio sul-africana entrevista diretor do SindJorNP sobre Covid19 no Brasil

Channel Africa é uma emissora da África do Sul que transmite notícias de todo o mundo, em vários idiomas, além do inglês, inclusive para o universo lusófono. Em português, realiza serviço de notícias e no dia 15 de maio ouviu o presidente da FJLP – Federação dos Jornalistas de Lingua Portuguesa e diretor de sindicalização (e de relações internacionais) Alcimir Carmo, que falou sobre a situação da Covid-19 nessa entrevista que integra o programa do referido dia. Confira a entrevista no link: http://www.channelafrica.co.za/sabc/home/channelafrica/programmes/details?id=b8e7e4aa-027a-4c04-b1b5-b80c8c54e932&title=Portuguese%20News...

Continuar lendo...

Share

192 entidades pedem à ONU garantia de liberdade para jornalistas presos

A FJLP – Federação dos Jornalistas de Língua Portuguesa (na qual o SindJorNP está filiado) e mais 191 entidades de representação de jornalistas e de direitos humanos enviaram neste dia 5 de maio carta ao Secretário Geral da Organização das Nações Unidas – ONU, o português Antonio Guterres, pedido para que essa organização internacional acione os países-membros para a libertação de jornalistas presos por conta de seu exercício profissional e em razão do perigo de contaminação pela Covid-19. A carta (a seguir transcrita e traduzida em português) faz referência à Campanha Imprensa Livre,......

Continuar lendo...

Share

Dia Mundial da Liberdade de Imprensa: profissionais não têm o que comemorar nos países de língua portuguesa

O Dia Mundial da Liberdade de Imprensa é celebrado no dia 3 de Maio. A data foi criada em 20 de dezembro de 1993, com uma decisão da Assembleia Geral das Nações Unidas e reverencia o Artigo 19 da Declaração Universal dos Direitos Humanos e, ainda, marca o dia da Declaração de Windhoek, uma afirmação feita com jornalistas africanos em 1991 reforçando os princípios da liberdade de imprensa independente e pluralista junto com a UNESCO. O tema deste ano é ‘Jornalismo Imparcial e Sem Medo’ e deve ser celebrado na agenda oficial da......

Continuar lendo...

Share

1º de Maio | Trabalhadores querem saúde, emprego, renda e democracia

Pela primeira vez na história do movimento sindical, a celebração do dia 1º de Maio vai se dar sem que a classe trabalhadora ocupe as ruas para defender o direito ao trabalho digno e a produção de riquezas com justiça social. Um vírus novo e potente impõe como necessidade o distanciamento social, ao mesmo tempo em que aprofunda a crise capitalista, com mais perdas para os trabalhadores e trabalhadoras. Por isso, a palavra de ordem é ninguém nas ruas, mas toda a classe trabalhadora mobilizada. Em tempos de pandemia, as lutas se cruzam......

Continuar lendo...

Share